Câmara Municipal de Pacajá parabeniza o município por seus 29 anos

A Câmara Municipal de Pacajá parabeniza o município por seus 29 anos de emancipação, completados neste 10 de maio de 2017.

Nesses 29 anos de emancipação política do município, a Câmara Municipal de Pacajá parabeniza a cidade e relembra um pouco de suas lutas através da sua história de emancipação.

A ocupação do território de Pacajá está intimamente ligada a construção da Rodovia Transamazônica na década de 1970. Às margens do rio Pacajá foi montado um canteiro de obras para dar suporte aos operários construtores da rodovia. Em seguida os primeiros colonos, vindos do Maranhão, Goiás e do Paraná, montaram seus acampamentos ao lado do canteiro de obras da rodovia.

A povoação surgida a partir do canteiro de obras não tinha nenhuma organização urbanística razoável. A iniciativa de organização do povoado partiu do proprietário das terras situadas ás margens do rio Pacajá (terras que atualmente são o centro da cidade), o senhor João Leite. Leite, juntamente com os técnicos do INCRA, dividiu as terras da fazenda "Ladeira Vermelha" em quatro grandes lotes. Dois lotes em cada margem do rio Pacajá, distribuindo pequenas porções de lotes a quem se interessasse. Leite fundou um hotel no centro da cidade, que funcionava tanto como dormitório, como ponto referencial rodoviário. Em 1982 Leite tornou-se o primeiro vereador eleito por Pacajá, à época ainda vila de Portel.

A vila beneficiou-se sobremaneira por situar-se entre as rotas de Altamira, Tucuruí e Marabá, servindo como principal ponto de referência entre essas cidades. Além de ser um ponto rodoviário de referência, Pacajá também acumulou dividendos da extração madeireira, iniciada logo após sua fundação.

Em meados da década de 1980 Pacajá já era o maior e mais rico aglomerado urbano de Portel, rivalizando com a própria sede do município. Entretanto a inexistência de comunicação rodoviária, fluvial ou aérea com a cidade de Portel, fez desenvolver movimentos que pediam a emancipação política do vilarejo.

A primeira organização montada para lutar pelo desenvolvimento e emancipação de Pacajá foi a associação de moradores da vila. Esta organizou-se e obteve apoio de povoados vizinhos para a luta por sua emancipação. Foi formulado um documento com a assinatura de apoiantes, e logo depois enviado ao legislativo estadual. O legislativo aprovou a realização de uma consulta plebiscitária em todos os vilarejos que comporiam o novo município.

O plebiscito foi realizado, tendo registrado resultado favorável à emancipação por mais de 90% dos votantes. Desmembrado de Portel, foi criado pela lei n° 5.447 de 10 de maio de 1988. Sua instalação ocorreu em 1 de janeiro de 1989, com a posse da prefeita Maria Zuleide dos Santos Gonçalves, eleita no pleito de 15 de novembro de 1988.

Pacajá, parabéns pelo seu aniversário. Você está no coração do Pará e no coração do seu povo, que tanto te ama.